Qual é a verdadeira produção do BRS CAPIAÇU?

Não é à toa que o capim elefante BRS CAPIAÇU tem despertado grande interesse de pecuaristas em todo Brasil. 

Lançada pela Embrapa Gado de Leite, em Minas Gerais, a BRS CAPIAÇU foi obtida por meio do Programa de Melhoramento Genético de Capim-Elefante Embrapa. 

O nome CAPIAÇU tem origem na língua tupi-guarani, que significa “CAPIM GRANDE”. A cultivar não nega o nome, ultrapassando cinco (5) metros de altura. O resultado é ALTA PRODUÇÃO DE BIOMASSA. 

A cultivar produz cerca de 50 TONELADAS DE MATÉRIA SECA por hectare/ano, 300 TONELADAS DE MATÉRIA VERDE por hectare/ano. Esses resultados correspondem a 30% a mais do que as gramíneas disponíveis. No entanto, não é só volume. Entre as principais cultivares de capim-elefante, a BRS CAPIAÇU é também a que apresenta o maior teor de proteína. 

Seguem os percentuais de proteína de acordo com a idade do BRS CAPIAÇU:

 

idade do corte  percentual de matéria seca  proteína bruta 

50

9,3%

9,7

70

13,8%

7,7

90

16,4%

6,2

110

19,7%

5,6

 

Considerando os dados de idade e proteína bruta, utilizar o capiaçu quando cortado aos 50 dias, chega a ter 10% de Proteína Bruta, índice superior ao da silagem de milho, que tem cerca de 7% de proteína bruta. 

Segundo o pesquisador Antônio Vander Pereira, que coordenou o desenvolvimento da cultivar, ela representa uma alternativa para a produção de silagem de baixo custo. “O que se gasta com a produção de silagem de BRS Capiaçu é três vezes menos comparado à silagem de milho ou de sorgo”, diz. O valor nutritivo é comparável à silagem das forrageiras tradicionais e superior ao da cana-de-açúcar.

Quanto a silagem da cultivar BRS CAPIAÇU,  a mesma apresenta valor nutritivo comparável ao milho, com menor valor energético. A silagem da BRS CAPIAÇU é indicada para vacas secas e animais jovens. Quando utilizada para vacas em lactação, a alimentação deve ser suplementada com uma fonte de energia, observando a produção e categoria do animal. 

Para atender aos requerimentos energéticos e proteicos do rebanho, tanto na silagem de milho quanto na de BRS Capiaçu, a suplementação concentrada é necessária. Comparando as duas silagens na alimentação de vacas em lactação, a silagem de BRS Capiaçu implica na necessidade de maior quantidade de concentrado na dieta. Mas, segundo Morenz, ainda assim, o seu uso é economicamente vantajoso, devido ao menor custo de produção. 

Veja o que o mercado fala do BRS CAPIAÇU: https://www.portaldbo.com.br/capim-elefante-que-rende-30-a-mais-e-adotado-em-todo-o-pais/

PRODUTIVIDADE CAPIAÇU